Radiação de Fundo Rotating Header Image

Criacionistas, convivam com os fatos

Autor: Pedro Almeida

FATO: A Terra existe há 4,54 bilhões de anos.

Sério. Não to zoando não. Sabemos disto por meio da datação radiométrica, que mede quanto tempo demoraria para tal elemento atingir tal concentração dada sua formação, i.e., a formação do planeta.

Ah mas Seu Ateu, a datação radiométrica não é confiável!

Na verdade, é sim. É tão confiável que sabemos o erro desta estimativa: ±1%, o que daria 45,4 milhões de anos pra mais ou pra menos, que, convenhamos, é ano pra caralho, mas ainda bem pouco diante da idade do Universo: 13,75 ± 0,17 bilhões de anos (menos de 0,34%).

Mas mesmo assim, com um pouco de astúcia e perspicácia, não precisaria ser nenhum gênio para descobrir que a Terra é bem mais velha que meros 10 mil anos. Se você montasse uma esfera em escala da Terra, com a mesma densidade média, e esquentasse ela e medisse a taxa com que ela esfria, você teria uma boa estimativa da taxa real de esfriamento da Terra, exatamente como teria acontecido desde a formação do planeta quando era quente, certo? Daí, era só fazer uma regressão exponencial usando as equações que regem a perda transitória de calor, extrapolar os pontos e voilá! A idade da Terra. Na verdade, um cara fez isso em 1779 (Georges-Louis Leclerc) e chegou ao valor de 75 mil anos, que, convenhamos, já é bem maior que 10 mil. Só que ele não levou em conta outras fontes de calor na Terra: convecção de magma sob a crosta, calor por radioatividade, vulcanização, irradiação solar, etc.

Outros caras tentaram outros métodos: calcular o tempo que a Terra demoraria a chegar à atual velocidade de rotação, calcular o tempo que demoraria ao Sol ter o atual brilho, etc. E tiveram resultados que chegavam até estimativas de 400 milhões de anos.

Mas aí chegaram outros caras com um tal de decaimento radioativo, um fenômeno tão sincronizado da Natureza, que pode-se prever precisamente quanto tempo demora para que determinada concentração de determinado isótopo, presente em rochas, seja atingida. E isto é independente de qualquer coisa, senão do material, i.e., sua meia-vida. E aí o resto é história: dada concentração só poderia acontecer depois de tanto tempo, voilá! Idade da Terra, e das outras coisas (e.g., fósseis, rochas), de novo.

Mas Seu Ateu, como vou confiar numa concentraçãozinha besta de um elementozinho tosco? Fala sério! Que coisa sem nexo!

Na verdade, existem, pelo menos de meu conhecimento, mais de 15 métodos diferentes de datação, com diferentes isótopos e elementos.

Os mais comuns, usados na Terra:

Método com Urânio-Chumbo (data bilhões de anos, com erros de até 2%)

Método com Samário-Neodímio (data bilhões de anos, com boa precisão)

Método com Potássio-Argônio (data precisamente rochas muito antigas)

Método com Rubídio-Estrôncio (data rochas ígneas e metamórficas, em bilhões de anos)

Método com Urânio-Tório (data milhares de anos, em sedimentos oceânicos)

Método do Radiocarbono (famoso Carbono 14, pra datar compostos orgânicos e organismos mortos há até 62 mil anos)

Método do rastreamento de marcas rochosas de fissão nuclear (data meteoritos e rochas vítreas vulcânicas, em até alguns milhões de anos)

Método do Cloro 36 (datação de períodos curtos e sedimentos em gelo)

E mais a cacetada abaixo, que serve a outros propósitos mais específicos, inclusive datação do Universo – meteoritos, rochas lunares, ETs, etc:

Argônio-Argônio (Ar-Ar)

Iodo-Xenônio (I-Xe)

Lantânio-Bário (La-Ba)

Chumbo-Chumbo (Pb-Pb)

Neon-Neon (Ne-Ne)

Lutécio-Háfnio (Lu-Hf)

Rênio-Ósmio (Re-Os)

Urânio-Chumbo-Hélio (U-Pb-He)

Urânio-Urânio (U-U)

Estes nomes bonitinhos se referem a como os isótopos decaem: U-U, por exemplo, se refere ao urânio-238 decaindo para urânio-234, com uma meia-vida de 4,5 bilhões de anos, ou seja, em 4,5 bilhões de anos de formado, o U-238 caiu pela metade e virou U-234, entre outros decaimentos secundários.

Ah mas peraí, Seu Ateu, vai falar difícil ‘pa mim num intindê’!?

OK. Vamos deixar de lado o papo técnico, vou resumir: eu DUVIDO, mas tipo, D-U-V-I-D-O  M-U-I-T-O que tantos métodos seriam falhos, ou congruentes só de sorte. Só de sacanagem divina, sabe. Eu prefiro aceitar, na minha humilde análise, que temos um conhecimento no mínimo confiável sobre decaimento radioativo a esta altura, que conhecemos bem as dinâmicas dos elementos através do tempo, e que, depois de muito estudo e pesquisa na área teórica e experimental, a matemática nos leva à formulação que datou nosso planeta, nosso lindo planeta Terra, na elegância de seus 4,54 bilhões de anos. E isso é só 1/3 da idade do Universo! Praticamente um planeta jovial… bom, talvez não do nosso ponto de vista.

Contra fatos não há argumentos.

Um abraço, e até a próxima tentação.

22 comentrios

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Pedro Almeida, Pedro Almeida. Pedro Almeida said: Radiação de Fundo: Criacionistas, convivam com os fatos http://is.gd/idzrv […]

  2. Matheus Polli says:

    Caraaaca, muito bom esse site. Acabo de conhecer e acredito que vou me esbaldar por aqui. Parabéns!

  3. Craig says:

    Senhor ateu:

    Desde quando os métodos da ciência são infalíveis ou no mínimo 100% confiáveis? Não são, nunca foram e jamais serão. Normalmente os cientistas dão meia volta e: “desculpe a nossa falha, eh, eh!”. E fica por isso mesmo. Mas no crente – pau nele!

    Agora o cientista John Smith descobriu outro método que é infalível mesmo, podes crer! É sempre assim.

    O universo tem somente 13.75 bilhões de anos? Perfeito, irretocável! Só se esqueceram de avisar ao universo. Bem, bem, deixe pra lá, afinal não conhecemos nem 0.99% de nossa galáxia – mas calcular a idade do universo é bem mais fácil. Inda mais que conhecemos tudo o que seja visível e invisível, previsível e imprevisível.

    Quando será que a arrogância científica vai pelo menos frear. Depois que o Hubble descobriu umas pequenas coisinhas, os teóricos enfiaram no lixo dezenas e dezenas de premissas e afirmações que de pés juntos juravam ser verdades científicas. E os aluninhos Óh, engolindo sem água!

    Ah, esses homens indomáveis e suas inesgotáveis fontes maravilhosas!

  4. Teve a manha, Pedro!

    A idade da Terra for dummies…

  5. Mauricio says:

    Craig

    “Desde quando os métodos da ciência são infalíveis ou no mínimo 100% confiáveis? Não são, nunca foram e jamais serão. Normalmente os cientistas dão meia volta e: “desculpe a nossa falha, eh, eh!”

    Exatamente por isso é confiavel, porque a ciencia não finge saber tudo, ou ser 100% exata, quando tem algo errado, corrige-se, ou quando desenvolvemos aparelhos mais sofisticados que nos dão resultados mais precisos, fasse os testes novamente, logico que existem falhas ou “buracos”, mas eles são corrigidos assim que possivel.

    E nem sei como você pode por a cinfiabilidade da ciencia em questão, ou você se esqueceu das vacinas, tratamentos medicos, produção de diferentes tipos de energia, invenção de varios meios de transporte, agricultura mecanizada, naves espaciais, satelites, viagem a lua, etc, etc…

    Tenho exemplos quase infinitos de como a ciencia é confiavel, e como vem melhorando nossa qualidade e expectativa de vida, e você sabe disso.

  6. Pedro Almeida says:

    Craig.

    falácia de tomar o todo pela parte.
    me aponte 1 vez na vida em q as limitacoes temporarias da ciencia foram impeditoras de seu avanço. melhor, me aponte uma vez em q o conhecimento científico foi invertido, e não melhorado sua precisão. por exemplo, qd descobrimos q a terra era redonda. algum erro poderia prova-la chata novamente? melhor. ela nao eh redonda. é um obloide. as coisas caminham pra maior precisao, ja notou? e nao a inversao.
    se vc nao confia na ciencia, pare de usa computador. eh mt sinistro alguem chacotar da ciencia, chega até mesmo ser irresponsavel.

    e como ja diria o “poeta”: já q a ciência não explica tudo, a religião nao explica nada.

  7. Pedro Almeida says:

    me aponte tb o momento em q eu disse q qualquer metodo cientifico de qualquer natureza seja 100% confiável em qualquer momento de tempo pegado a esmo.

  8. Alisson says:

    Desde quando existe ligação de astronomia (idade do universo) com ateísmo?

  9. Pedro Almeida says:

    e onde vc viu essa ligação?

  10. Mauricio says:

    Alisson

    “Desde quando existe ligação de astronomia (idade do universo) com ateísmo?”

    Ligação direta realmente não tem, mas refuta a ideia de uma Terra jovem, com apenas 4 ou 5 mil anos, como dizem os criacionistas, ai sim você pode fazer uma ligação.

    Cada merda da religião, que a ciencia refuta, é um passo em ireção ao ateismo (para mim pelo menos), porque sabendo como funciona o universo, e como as coisas funcionam, você não precisa ficar invocando um deus.

  11. Pedro Almeida says:

    ateísmo e ciencia nao tem relação direta alguma. mas diria q o cara q aceita o ateísmo como posicao filosofica esteja totalmente disposto a aceitar o metodo cientifico e o empirismo como a forma de descobrir o mundo ao redor, ou seja, de paralelizar o ateísmo com ciencia, afinal as respostas existenciais nao sao de cunho científico, no entanto os mecanismos q vc pode entender por meio da ciencia e q te levam a uma resposta pessoal sobre algo existencial sao uma resposta filosofica, derivada da interferencia científica no ateu.

  12. Homero says:

    Craig: “Desde quando os métodos da ciência são infalíveis ou no mínimo 100% confiáveis? Não são, nunca foram e jamais serão. Normalmente os cientistas dão meia volta e: “desculpe a nossa falha, eh, eh!”. E fica por isso mesmo. Mas no crente – pau nele!”

    Craig está precisando ler (que novidade, que surpresa..:-) o belo texto de Isaac Asimov, A Relatividade do Errado:

    http://ateus.net/artigos/ceticismo/a-relatividade-do-errado/

    Talvez acabe entendendo que a ciência, o conhecimento científico, se ajusta, não “falha” a todo momento. A cada aumento na capacidade de medir, estudar, analisar, um aumento na precisão, e mais um ajuste. Não vamos decobrir que a Terra é chata de novo, ou que doenças são causadas por “miasmas maléficos” em vez de micro-organismos patológicos.

    Mas podemos descobrir melhores formas de determinar a forma da Terra, e mais dados sobre os micro-organismos patológicos.

    Craig: “E os aluninhos Óh, engolindo sem água!”

    Quem na verdade “engole sem água”, são crentes (e olha que engolem livros velhíssimos, empoeirados e secos, deve ser terrível..:-), cientistas exigem enorme esforço, estudo, evidências e pesquisa, dentro de um rigor extremo.

    Por isso o computador que Craig usa para escrever as bobagens que escreve, e a rede mundial de satélites de comunicação que usa para envia-las, é confiável. Tanto que, infelizmente, temos de ler essas bobagens todas do Craig..:-)

    Um abraço.

    Homero

  13. Tubarão says:

    Ainda existem formas de a idade estimada estar grosseiramente errada:

    E se as constantes da física variam com o tempo?

    E se algum evento extraorinário aconteceu no intervalo entre o início do universo e o tempo atual?

    E se o mundo é matrix?

    A realidade como representação, uma brincadeira no cérebro de um deus (Eu), é a única forma que consigo imaginar de salvar a bela visão antes da nefasta realidade atomista…

  14. Jacques says:

    É perda de tempo tentar ensinar alguma coisa para criacionistas, já que para eles é muito mais fácil simplesmente acreditar no que um padre ou um livro (supostamente “sagrado”) dizem.
    Não há crescimento sem sofrimento, e é essa a razão dos caras manterem uma mentalidade de criança por toda a vida.
    Parabéns pelo site.
    Até mais.

  15. Pedro Almeida says:

    tubarão

    é mt simples para nós considerarmos estas ideias e mudarmos a nossa noção da idade da terra ou de qualquer outra lei da física.

    é só alguem provar q qualquer uma destas alegações é verdade e como ela se relaciona com o resto da explicacao científica do universo.

    simples assim

  16. Fernando says:

    Desculpe pelo teclado, eh ENG portanto sem pontuacao em PT.

    Gostei do texto. Sou cientista e sou cristao, sim, voce leu bem. Apesar do meu foco estar na area computacional, pesquisa em sistemas distribuidos, nao deixo de me interessar por outras areas nao menos interessantes como fisica, geologia e criacionismo/design inteligente.

    O criacionismo biblico (judaico-cristao e maometano) tem na sua vertente mais tradicional na teoria que o mundo existe a partir da narrativa biblica, somando as datas cronologicamente chegando a algo em torno maximo de 10.000 anos.

    O design inteligente admite uma idade da terra muito maior, podendo ser de 4.5 bilhoes de anos. Design inteligente nao eh um conceito vinculado a uma crenca religiosa, mas a suposicao de que existe uma ordem, um ordo ab chaos, um padrao e portanto um design.

    Ambas teorias tem suas bases e a idade da terra nao vem a ser um `problema`, nao ao meu ver. Se cientificamente esta provado confiavelmente ate hoje creio que pode ser de 4.5T anos, mas existem perguntas que nao existe como responder, pode-se simular o ambiente de acordo com o que se percebe ou se presume do ambiente mas nunca poderemos ter certeza absoluta da formacao dos minerais. E se eles fossem resultado de bruscas e extremas mudancas de temperatura, pressao, concentracao de depositos de forma que hoje e inconcebivel.

    Vale lembrar algo simples, ate pouco tempo o conceito de vida era ligado a carbono, hoje nao. Descobriu-se forma de vida que baseia-se em arsenico. Isto sim eh quebrar com um paradigma quase um dogma cientifico.

    Apesar de ver a ciencia se retratar e rever certos aspectos tenho grande confianca que o `lobby` ateu impediria qualquer confirmacao cientifica que pudesse corroborar de forma incisiva qualquer tema religioso.

    Olha esta conversa vai longe… mas gostei do texto. Fica a pergunta… E SE… 😉

  17. João Paulo says:

    A teoria evolucionista é falha, mas citada para leigos de forma convincente e enganadora, o evolucionismo nos afasta de DEus, uma vez que não se pode conciliar os dois, ou amamos a Deus e sua sabedoria, ou acreditamos que somos frutos do acaso,ou nada somos, pra onde vamos,ou não vamos, uma vida sem Deus, é uma vida sem esperança, busque a Deus estude Deus, viva com Deus, experimente Deus, não tenha medo de tentar, assim como fazem com o universo, façam tambem com ele e então entenderam, porque veram os milagres e o mover de Deus com ações sobrenaturais e um “poder” sem igual o qual nem um cientista jamais pode contestar. (conhecereis a verdade e averdade vos libertara) e então vera o que faz de nós simples criacionistas. Que Deus tire a trava dos seus olhos.

  18. ricardo queiroz says:

    Olá! Muito bacana seu site, como também seu texto. . . Sabe, eu já fui ateu, já fui católico, mas hoje sou cristão. Eu acho que a questão entre a relação do evolucionismo e criacionismo vai muito além de fundamentos do tipo “A Terra tem 10.000 anos”; “O mundo foi criado em 6 dias”; “O homem evolui de um macaco”. Na minha opnião, não é porque a ciência tem uma resposta mais atraente que anula a existência de um criador. Sabe, acho que Cristo veio justamente para acabar com esses dogmas que o ser humano se apega e demonstrar que Deus está muito além da capacidade humana ao tentar decifrá-lo. O que me deixa intrigado é a posição dos ateus de hoje em dia, que acham que estão no topo da cadeia evolutiva ao se protegerem em nome da “ciência”. Pena eles não perceberem que sempre existiu ateus na história da humanidade, não sendo privilégio de uma civilização pós-moderna. Bastava ler um pouco do “livro empoeirado” que o amigo Homero citou. Mas já que a ciência prova tudo e busca negar a existência de Deus, eu gostaria de uma prova cientifica sobre o misério da fé. Por que pessoas que têm fé em Deus produzem milagres que a comunidade cientifica não consegue explicar? Gostaria que o senhor Pedro Almeida, que aparentemente gosta de ser chamado de Seu Ateu, me respondesse a esta pergunta. Talves ele possa me responder que não passa de habilidades que nosso cérebro tem. Quem sabe? A ciência me prova? Se não me prova, então posso continuar achando que seja Deus agindo através da fé. . . Mas talvez a ciência possa me responder de onde o Universo surgiu. . . Talves tenha evoluído de um átomo de hidrogenio boiando pelo vácuo. Quem sabe? A ciência me prova? Se não me prova, então posso continuar achando que Deus tenha criado tudo, independente do tempo que tenha levado. E para concluir, sobre o conceito de ciência nunca falhar, dê uma pesquisada sobre o homem de nebraska e você concluirá que assim como o homem é falho, a ciência também é, e assim, talvez você possa perceber que você não é fruto de uma evolução, que você não é só mais um ser que surgiu do acaso, mas sim, a coroa de uma criação. Criado para sujeitar e dominar por toda a terra. E quem sabe um dia você possa aceitar a Cristo que deu sua própria vida por nós. E quem todo joelho se sobre para confessá-lo. Que o Senhor possa nos guiar.

  19. Fernando says:

    Seu ate me explica..

    Ja ouviu falar da lei da Biogenes?

    Ja ouviu faltar que tudo tende ao DESORGANIZADO é não ao ORGANIZADO nosso universo esta ficando desorganizado (alguem ja deve ter criado tudo prontinho).

    Ja viu a quantidade de detritos que os estão nos mares, faz a conta ai tambem.

    Ja viu a viu a quantidade de pessoas que estão no planeta, ja pessou que se o Homem fosse tão velho quando pensa quanta gente estaria aqui hoje..

    Ja viu a complensidade do DNA. a infinidade de informação que ha contida nele?

    Qual foi o primeiro peixe a andar na terra? como ele andou sem pernas? respirou com branqueas.. bom pela teria sua se eu for megulhador meus filhos vão nascer com escamas?

    Pode me explicar comos os continentes foram divididos, em minha biblia tem a explicação mais real o possivel .. abriram-se os abismos e toda agua partiu o continente..

    Adore a Cristo enquando pode que Deus te abençoe.

    aqui vai um cara bom Adauto lourenço aprende um poquinho com ele

  20. gerson says:

    Caro ateu, seria interessante você LER o Gênesis: “No princípio (indefinido) criou Deus o céu e a Terra. A Terra era SEM FORMA e VAZIA; e HAVIA TREVAS sobre a face do ABISMO; e o Espírito de Deus se movia sobre as ÁGUAS.” Bem básico: No PRINCÍPIO não é no PRIMEIRO DIA: no PRIMEIRO DIA DEUS CRIOU A LUZ!!! A Terra já existia: mas ERA SEM FORMA e VAZIA! Portanto, é possível, REALMENTE, que a Terra tenha 4,54 bilhões de anos. Isso não desqualifica em N_A_D_A a CRIAÇÃO que se seguiu no momento que Deus considerou e projetou concretizá-la. Não tô nem aí prá idade da Terra. O que conta de verdade é quanto tempo o homem habita sobre ela: isso nem ateísmo, nem evolucionismo consegue explicar. Ateu, parte prá outra tese, que essa AFUNDOU… O ELO PERDIDO que você procura tá na Bíblia: o ATO CRIADOR DE DEUS! (*conhecereis a verdade e ela vos libertará*)

  21. gerson says:

    Ah, em tempo: ATEUS, CONVIVAM COM A VERDADE REVELADA!

  22. Fábio says:

    Gerson.

    Cara “no princípio CRIOU DEUS OS CÉUS E A TERRA”, não é citado uma pausa em que ele fica vagando pelo nada. O que você falou nem mesmo está na Bíblia, é só algo que você inventou. Desde Adão (que foi criado no 7 dia) até Jesus, já dá pra ter uma noção do tempo em que a terra existe segundo a Bíblia.

Comente